Paulo Coelho e o Irã

Paulo Coelho, escritor brasileiro, autor de O diário de Um Mago, afirmou em seu blog pessoal que teve os seus livros banidos da República Islâmica do Irã. Segundo ainda o próprio autor, seu editor naquele país, Arash Hejazi, teria sido informado no domingo passado (09/01) que o Ministério da Cultura censurou a publicação dos seus livros.

O editor de seus livros na língua persa comunicou ao escritor brasileiro por e-mail que  “nenhum livro que contenha o nome de Paulo Coelho terá mais autorização para ser publicado no Irã”. No post de Coelho em seu blog, o próprio afirma que é publicado no Irã desde 1998 e que já vendeu 6 milhões de cópias no país até hoje.

Numa tentativa de driblar a censura, Coelho prometeu disponibilizar para download gratuito na internet versões de seus livros no idioma do Irã.

As reações de autoridades brasileiras a este caso foram imediatas. A ministra da Cultura, Ana de Hollanda, lamentou o episódio, mas salientou que a “manifestação do governo brasileiro cabe ao Ministério das Relações Exteriores”. O ministro das Relações Exteriores, por sua vez, fez declarações de repúdio à censura não-justificada aos livros do escritor e prometeu contactar a embaixada do Irã para obter mais informações.

Esperamos que o regime dos aiatolás perceba que a censura aos meios de informação e à cultura põe em risco a própria sociedade a longo prazo. Além do mais, esta atitude colocaria em risco as relações diplomáticas amistosas que o Brasil mantém com o país.

Sem comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*